Cientistas da Nasa detectam nuvem de gás que sugere vida em Marte

Veículo nomeado de Curiosity chegou ao planeta em 2012 a procura de metano e não encontrou nada, mas gás foi identificado recentemente.

0
53
Foto: EFE/NASA

Cientistas da Agência Espacial dos Estados Unidos (Nasa) descobriram mais uma evidência que pode haver vida em Marte, após o veículo Curiosity identificar uma grande quantidade de metano dispersa na atmosfera do planeta.

Produzido normalmente por seres vivos, o gás sugere micróbios vivem no planeta. A descoberta, feita durante uma medição no planeta vermelho realizada na quarta-feira (19) foi divulgada pelo jornal norte-americano The New York Times neste sábado (22).

Na Terra, organismos conhecidos como metanogênicos prosperam em lugares sem oxigênio, como rochas subterrâneas profundas e tratos digestivos de animais, e liberam metano como resíduo.

Contudo, conforme explicam os cientistas, reações geotérmicas, não biológicas, também podem gerar o gás. Com isso, também é possível que ele tenha ficado retido dentro de Marte por milhões de anos, tendo escapado apenas agora, por meio de rachaduras.

Ao chegar em Marte, em 2012, o Curiosity procurou por metano e não encontrou nada. Depois, no ano seguinte, foi detectado um pico repentino, de até 7 partes por bilhão, que durou pelo menos dois meses. A medição desta semana encontrou 21 partes por bilhão de metano, ou seja, três vezes o pico registrado de 2013.

“Diante desse resultado tão surpreendente, estamos realizando um experimento de acompanhamento neste final de semana”, afirmou Ashwin R. Vasavada, cientista à frente do projeto, em e-mail obtido pelo NYT. Com informações do Estado de S. Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui