Em homenagem a Mãe Stella, colégio estadual recebe nome da ialorixá

0
169
Foto: Terreiro Afonjá

De acordo com a diretoria do colégio, a ideia da mudança do nome veio após entenderem o significado do bairro para o povo negro

 

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia (Sec) publicou no Diário Oficial, desta quarta-feira (20), dia da Consciência Negra, uma portaria que altera o nome do Colégio Polivalente do Cabula, localizado no bairro do Cabula, em Salvador, para Colégio Estadual Mãe Stella. A solicitação da mudança veio através da comunidade escolar, que queria fazer uma homenagem a Maria Stella de Azevedo Santos, a Mãe Stella de Oxóssi.

De acordo com a diretoria do colégio, a ideia da mudança do nome veio após entenderem o significado bairro para o povo negro. “Cabula significa toque de chamada e estamos em uma área geográfica de quilombo, em uma área de ancestralidade e é uma grande alegria ter o nome de Mãe Stella. Toda a representatividade da escola, através do Colegiado Escolar, pais, mães, professores, estudantes, funcionários, todos se mobilizaram para esta mudança. O nosso sentimento é de muita felicidade pelo que Mae Stella continua representando.”, disse a diretora do Polivalente, Lúcia Maria de Santana Ferreira.

Considerada uma das maiores ialorixás do Brasil, Mãe Stella morreu em dezembro de 2018, aos 93 anos, deixando um importante legado religioso, cultural e social para os baianos. Eleita, por unanimidade, para a Academia de Letras da Bahia, em 2013, Mãe Stella ocupou a cadeira de número 33, cujo patrono é o poeta Castro Alves. Antes, em 2005, a ialorixá recebeu o título de Doutor Honorares pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e, em 2009, o mesmo título foi a ela concedido pela Universidade Estadual da Bahia (UNEB), entre outros títulos municipal, estadual e federal.

Mãe Stella de Oxóssi foi a quinta ialorixá a comandar o Terreiro Ilê Axé Opô Afonjá, fundado em 1910, em Salvador, por Eugênia Anna dos Santos, a Mãe Aninha. Mãe Stella dedicou 80 anos da vida ao candomblé e comandou durante 42 anos o Ilê Axé Opô Afonjá. Enfermeira de formação e também escritora, publicou seu primeiro livro em 1988. Batizado de “E daí aconteceu o encanto”, a obra escrita em parceria com Cléo Martins traz histórias sobre as origens do Opô Afonjá e das primeiras ialorixás que comandaram a casa.

Leia mais notícias no www.berimbauemfoco.com.br, Siga nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram e veja nossos vídeos no Play Berimbau. Envie informações à Redação do Portal Berimbau em Foco pelo WhatsApp (75) 9 98174-4132.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui